Articles for Maio 2014

Datas do Curso de Hexagramas no segundo semestre de 2014

Informamos aos alunos do Curso de Hexagramas de I Ching na Sociedade Taoista, o calendário das aulas mensais no segundo semestre de 2014:

  • Agosto: 16/8, hexagramas 22, 23 e 24;
  • Setembro: 13/9, com o professor Aurimar “Harry” Cerqueira, hexagramas 25, 26 e 27;
  • Outubro: 25/10, hexagramas 28, 29 e 30;
  • Novembro: 29/11, hexagramas 31, 32 e 33;
  • Dezembro: 20/12, hexagramas 34, 35 e 36;
  • Janeiro de 2015: 31/1/15, hexagramas 37, 38 e 39.

Esse curso aprofunda o aluno na sabedoria dos 64 Hexagramas do I Ching, aprimorando a prática do oráculo do I Ching, assim como mergulhando nessa maravilhosa visão do funcionamento da vida e do universo. Em cada aula vemos 3 hexagramas, em todos os seus aspectos simbólicos, técnicos e interpretativos e também realizamos uma Oficina de Oráculo, quando treinamos todos os pontos que envolvem uma consulta de I Ching.

Pré-requisito: Curso de Fundamentos de I Ching.

Datas e horário: 1 sábado por mês, das 9hs às 16hs.

Local: Sociedade Taoísta do Brasil

Prof.: Edgar Cantelli

Contato: 3105-7407 / 9631-3005 – stb-sp@sociedadetaoista.com.br

Edgar Cantelli Gaspar – edgar@terapiaschinesas.com.br – Twitter: @edgarcantelli

Alteração data da aula de Hexagramas em Junho na STB

Por conta das datas da Copa do Mundo, tivemos que alterar a data do curso de Hexagramas na Sociedade Taoista do Brasil em junho, do dia 28/6, para o dia 14 de junho. Esta aula será ministrada pelo Prof. Aurimar “Harry” Cerqueira.

Contato da STB: 3105-7407 / 9631-3005 – stb-sp@sociedadetaoista.com.br

Edgar Cantelli Gaspar – edgar@terapiaschinesas.com.br – Twitter: @edgarcantelli.

Palestra no III Congresso Brasileiro de Medicina Chinesa

3_congresso_ebramecOrganizado pela EBRAMEC (Escola Brasileira de Medicina Chinesa), o III Congresso Brasileiro de Medicina Chinesa vem se consolidando como um importante evento anual de integração e aperfeiçoamento de todas as áreas da Medicina Chinesa. Neste ano, além das ricas palestras, e evento terá 8 mini-cursos com 3 horas de duração.

Eu tenho a honra de participar, no dia 31/5, às 14hs, com a palestra “Acupressão – tonificação e dispersão pelas técnicas da Massoterapia Chinesa Tui Na”.

Para mais informações sobre o Congresso, clique aqui

Edgar Cantelli Gaspar – edgar@terapiaschinesas.com.br – Twitter: @edgarcantelli.

 

Compreendendo as doenças pulmonares segundo a Medicina Tradicional Chinesa

Camada de poluição em São Paulo (Foto por  Atitude Eco)

Camada de poluição em São Paulo (Foto por Atitude Eco – 2013)

Estamos no outono e vivendo um período seco e poluído, especialmente aqui em São Paulo. Nesta época são frequentes as ocorrências de gripes e resfriados que quando mal curados, podem levar a quadros mais graves como os de bronquite, asma e até pneumonia.

O Pulmão é especialmente prejudicado, pois depende da boa qualidade e da umidade do ar para executar plenamente a atividade respiratória.

Segundo a medicina tradicional chinesa além de controlar a respiração, o Pulmão é responsável por controlar a abertura e o fechamento dos poros, a fim defender o organismo das mudanças climáticas ou temperaturas intensas, por aquecer a superfície corporal e também direcionar os fluidos corporais para a pele e para a Bexiga, a fim de promover a micção.

Devido ao declínio da produção que faz de energia este órgão se torna mais vulnerável, o que facilita a invasão de fatores patogênicos no interior do mesmo e a inibição do direcionamento dos fluidos corporais, propiciando o acúmulo de muco no interior do Pulmão. Este quadro leva a um processo inflamatório e infeccioso das vias aéreas, caracterizado pela diminução dos grandes e pequenos caminhos de passagem do ar e pelo espasmo dos músculos lisos dos brônquios.

Fatores genéticos podem indicar uma propensão ao desenvolvimento da bronquite e da asma, e podem ser constatados a partir da presença de chiados, respiração ofegante e manifestação de quadros alérgicos no histórico familiar e no histórico pessoal durante a infância.

Imaturidade, envelhecimento e estresse psíquico, como por exemplo, a tensão emocional, a frustração, o ressentimento também podem contribuir para o desenvolvimento das doenças pulmonares, pois paralisam a circulação livre de energia do organismo e dessa forma, inibem o direcionamento de energia realizado pelo Pulmão.

lungsA medicina tradicional chinesa atribui a formação de muco e mucosidade-calor (muco espesso, amarelo e febre) não só a obstrução da função do Pulmão devido ao ataque dos fatores patogênicos externos, mas também a uma deficiência da função do Baço, de transformar e transportar os fluidos corporais pelo corpo, o que leva a formação de muco e a obstrução de circulação de energia para o Pulmão.

Outras desordens na energia também são causadores da doença: a inabilidade do Rim em segurar a energia do ar direcionada pelo Pulmão, que leva ao sintomas da asma e a estagnação da energia do Fígado em circular energia para o Pulmão, impedindo suas funções.

Portanto ao se procurar um tratamento pela medicina chinesa deve-se ter em mente a possibilidade de desequilíbrio em todos esses órgãos e nos quadros agudos, onde há ocorrência de dispneia, respiração superficial, cianose, letargia, o tratamento é emergencial e o paciente deve ser encaminhado para o hospital.

As chances de se prevenir e minimizar a manifestação da doença no período do outono e inverno aumentam quando o indivíduo é tratado durante a primavera e o verão.O tratamento é longo e inclui acupuntura, moxabustão e fitoterapia, podendo apresentar muito bons resultados.

Helena Guimarãeshelena@terapiaschinesas.com.br

Mestres Taoistas da Medicina Chinesa – Hua Tuo

Hua To

Estátua de Hua Tuo no Anhui College of Traditional Chinese Medicine.

Hua Tuo (? – 208) talvez seja o médico mais famoso da história da Medicina Chinesa. Apesar de ter obtido parte desta fama ainda em vida, como praticante do Taoismo, nunca procurou destaque e riqueza. Quando o Primeiro Ministro Chen Gui Zang do Reino de Wei e o Ministro da Defesa Huang Wan tentaram persuadi-lo a assumir uma posição no governo, ele recusou. Ele tinha como princípio maior priorizar o atendimento da população em geral.

Hua Tuo primeiro estudou a Medicina Chinesa formalmente com o famoso terapeuta Xu Zhou e durante toda a sua vida continuou seus estudos por conta própria, tornando-se um especialista em muitas áreas, como a acupuntura, a massagem Tui Na, a fitoterapia, os exercícios para saúde, a pediatria e até mesmo procedimentos cirúrgicos. Hua Tuo era capaz de realizar cirurgias abdominais realizadas sob efeitos analgésicos proporcionados pela acupuntura e por fitoterápicos.

Todas as suas práticas clínicas se caracterizavam pela síntese. Ele buscava a utilização do menor número possível de componentes fitoterápicos em suas fórmulas, com o máximo de resultado, assim como a utilização do menor número de pontos de acupuntura num tratamento. Tratando-se particularmente da acupuntura, Hua Tuo ficou conhecido como possuidor de uma técnica incrível de manipulação das agulhas. Ele chegou num nível de domínio das técnicas de agulhamento e de circulação de Qi (氣 – Energia) que previa, antes da inserção da agulha, onde o paciente teria a sensação de irradiação e de que tipo ela seria.

Ele difundiu a utilização de 34 pontos nos espaços intervertebrais para tratamentos de afecções da coluna, conhecidos hoje por todos os estudantes de acupuntura no mundo como os famosos pontos Hua Tuo Jia Ji (華佗夹脊).

Como todo grande mestre da medicina chinesa, Hua Tuo entendia que o grande papel do terapeuta era o de prevenir as doenças. Assim, criou uma escola de Qi Gong (Chi Kung) conhecida como Wu Qin Xi (五禽戲), o “Jogo dos Cinco Animais”, com movimentos baseados em cinco animais: no tigre, no veado, no urso, no macaco e no grou. Ele acreditava que a prática constante deste tipo de exercício era um pilar fundamental para a manutenção da saúde.

Imagem de Hua Tuo no Templo de Mengjia Longshan em Taiwan

Imagem de Hua Tuo no Templo de Mengjia Longshan em Taiwan

Como mestre taoista, Hua Tuo era um praticante das artes de alquimia, procurando a saúde e a longevidade, acreditando na possibilidade da imortalidade. Pelos registros de seus trabalhos, Hua Tuo viveu mais de 100 anos e, segundo relatos, com uma aparência sempre jovial e dinâmica. Seguindo seus ensinamentos, seu discípulo Wu Pu, também viveu mais de 100 anos com ótima saúde.

Um exemplo da conduta de Hua Tuo se dá na história de sua morte. Cao Cao (155-220), governante da província de Cao Wei, que sofria de terríveis dores de cabeça, somadas a transtornos psíquicos, convocou Hua To para tratá-lo durante uma crise. O médico conseguiu tirar o governante do quadro agudo rapidamente, mas o avisou que o tratamento em si era muito difícil e de longo prazo. Cao Cao então recrutou Hua Tuo para que fosse seu terapeuta particular. O sábio terapeuta, sabendo que não poderia simplesmente recusar o pedido do governante, ainda mais conhecendo seus transtornos psíquicos, disse que precisava retornar para casa para descansar.

Algum tempo depois Cao Cao começou a enviar cartas à Hua Tuo solicitando sua presença. O médico então começou a retardar seu retorno ao tratamento do governante, justificando que sua mulher estaria doente. Hua Tuo neste momento sabia que se aceitasse o pedido do governante, nunca mais poderia tratar a população.

Cao Cao enfurecido mandou um grupo de subordinados investigar a situação do médico. Quando descobriram que Hua Tuo estava enganando o governante, este ordenou sumariamente sua morte.

Após a execução de Hua To, o filho favorito de Cao Cao, Cao Chong, adoeceu rapidamente  e morreu. O governante, angustiado, teria gritado se lamentando por ter ordenado a morte de Hua Tuo, que poderia ter salvo a vida de seu filho.

Tornou-se tradição na Medicina Tradicional Chinesa, quando se quer homenagear um terapeuta, chamá-lo de “Hua Tuo Zai Shi“, que significado “Hua Tuo Reencarnado”.

Conheça outros mestres taoistas da Medicina Tradicional Chinesa, clicando aqui.

Edgar Cantelli Gaspar – edgar@terapiaschinesas.com.br – Twitter: @edgarcantelli

Curso de Aprofundamento em Diagnóstico e Diferenciação de Síndromes da Medicina Chinesa – 2o semestre de 2014

diagnostico_2014A Medicina Chinesa possui uma lógica única que fundamenta sua forma de ver a saúde e a doença. Esta forma de pensar não é próxima da nossa forma habitual de vermos o funcionamento do nosso organismo. O praticante ocidental da Medicina Chinesa tem normalmente muita dificuldade de interiorizar a forma como se coleta, organiza, prioriza, raciocina e por fim conclui os dados clínicos de seus pacientes. Esse curso vem atender essa lacuna, trazendo, através do exercício prático, o pensamento que fundamenta essa Medicina.

Objetivo: aperfeiçoar a prática diagnóstica, a interpretação dos dados e o raciocínio da Medicina Chinesa, melhorando o exercício das suas ferramentas, como a acupuntura, a massagem chinesa Tui Na e a fitoterapia.

Pré-requisitos: profissional formado em Acupuntura ou estudante de curso de formação com 50% do curso completo.

Conteúdo programático:

Através de exercícios práticos, baseados em casos reais, feitos em grupo e individualmente, iremos aprofundar:

  • A elaboração da anamnese;
  • O Interrogatório;
  • A Pulsologia;
  • A Semiologia da Língua;
  • A Diferenciação de Síndromes pelos Oito Princípios (Ba Gan);
  • As Funções dos Órgãos e Vísceras (Zang Fu);
  • A Diferenciação de Síndromes pelos Órgãos e Vísceras (Zang Fu);
  • Os Fatores Patogênicos Exógenos;
  • Os Fatores Patogênicos Endógenos.

Ministrante: Edgar Cantelli Gaspar

Duração: 5 meses – aulas às terças feiras, das 14h30 às 16h30. Início: 5/814. Término: 16/12/14

Valor: 6 parcelas de 290,00.

Local: Sociedade Taoísta do Brasil

Contato: 3105-7407 / 9631-3005 – stb-sp@sociedadetaoista.com.br

Edgar Cantelli Gaspar – edgar@terapiaschinesas.com.br – Twitter: @edgarcantelli

Artigo na Revista Medicina Chinesa Brasil #12

revista12Na edição número 12 da Revista Medicina Chinesa Brasil, tivemos o artigo “Medicina Chinesa em campo: o Meio Campo” publicado. Ele faz parte de uma série de artigos que visam explicar os complexos conceitos das funções dos Órgãos e Vísceras (Zang Fu) para o leigo de maneira mais palpável, utilizando da analogia com o futebol.

A revista é uma grande referência na área da Medicina Chinesa contanto sempre com artigos sobre a situação da prática desta medicina em nosso país, no mundo, sobre pesquisas modernas e sobre tratados clássicos.

As ilustrações desta série de artigos são do excelente Caio Vitor. Para mais informações visite: http://cargocollective.com/caiovitor

A revista é digital, grátis e pode ser acessada pelo link: http://www.ebramec.com.br/revistamcb_12.htm

Edgar Cantelli Gaspar – edgar@terapiaschinesas.com.br – Twitter: @edgarcantelli