Articles for setembro 2010

Convite ao 2º ambulatório de Massagem Tui Na

No próximo sábado, dia 2 de outubro, realizaremos o segundo ambulatório da nossa turma de formação em massagem Tui Na da EBRAMEC (Escola Brasileira de Medicina Chinesa). Ainda temos vagas para os horários das 13hs e das 14h30. Quem quiser se inscrever, é só enviar um email para o Paulo, nosso monitor que está coordenando o agendamento dos pacientes: p_ricar@hotmail.com . O ambulatório é gratuito.

O endereço é: Rua Tobias Barreto, 1243 – Belém (próximo ao metrô Belém).

Como a Massagem Tui Na pode beneficiar nosso estado emocional?

Fonte: http://www.all-about-acupuncture.com/

A massagem Tui Na, que é a massagem tradicional da Medicina Chinesa, é uma poderosa ferramenta clínica. Ela tem inúmeras aplicações e trabalha complementando a abrangência terapêutica da Acupuntura e da Fitoterapia. Porém, o paciente que não conhece um pouco mais dessas ferramentas da Medicina Chinesa, costuma relacionar a Acupuntura, e não a Massagem, com os tratamentos que envolvem questões psíquico-emocionais. De fato a Acupuntura possui resultados muito interessantes nas patologias que envolvem padrões emocionais crônicos, como depressão, tristeza, preocupação, pensamentos obsessivos, dentre outros. E também a Massagem Tui Na pode ser uma ferramenta auxiliar poderosa nesses casos. Mas qual é o seu mecanismo de ação?

A Massagem pode ter efeitos na Mente (Shen) por vários caminhos. O simples de relaxar os músculos e tendões, permitindo um fluxo de Sangue (Xue) e Energia (Qi), já proporciona um estado mental de mais fluidez e relaxamento, pois o cérebro, assim como todos os tecidos do corpo, já são melhor irrigados. A reflexologia podal é uma técnica muito utilizada pelos massoterapeutas da Medicina Chinesa e também tem efeitos calmantes muito poderosos. Além dessas questões mais gerais, o Tui Na, assim como a Acupuntura, pode tratar os sistemas energéticos que envolvem cada grupo emocional, por exemplo: a tristeza afeta o sistema energético do Pulmão. Assim como quando o Pulmão está afetado por alguma desarmonia isso se reflete numa tendência de maior tristeza na Mente (Shen). Assim, o terapeuta busca harmonizar esse sistema, tratando, além dos sintomas físicos, o estado emocional. Isso é feito através dos Canais de Energia (Jing Luo) e também dos pontos nesses Canais, que possuem efeitos específicos, como aumentar a atividade funcional de um sistema, ou eliminar alguma hiperatividade, aumentar a estrutura, dentre várias funções possíveis para um ponto.

Mas hoje quero trazer um tema pouco trabalhado, que são os benefícios que a massagem pode trazer aos aspectos emocionais, ao ser bem executada na região dorsal. Dentre os Canais (Jing) que correm superficialmente na região dorsal, e que por isso podem ser acessados pela Massagem ou pela Acupuntura, vamos estudar mais profundamente o Canal da Bexiga. Dentre várias características importantes sobre esse Canal, vamos destacar aqui o fato de ele ser o Canal mais Yang do corpo. O que significa isso? Ele é o Canal que possui o maior fluxo de Qi (Energia), o mais superficial e também o mais acessível. Ele é o maior Canal do corpo e o que possui o maior número de pontos. Ele se inicia no canto interno dos olhos, passa pela cabeça, corre pelo pescoço, pelas costas inteiras, desce pelo glúteo, coxas, pernas e termina no canto lateral do 5º dedo do pé. De todo esse trajeto, a região mais importante de ser trabalhada é a região dorsal. Isto porque nessa região seus pontos nos dão acesso aos aspectos energéticos de todos os Órgãos e Vísceras (Zang Fu).

Nessa região o Canal tem uma característica interessante e única: ele se divide em dois ramos, em dois caminhos. O primeiro deles, mais próximo à coluna, nos dá acesso à manipulação dos aspectos funcionais (Yang) e estruturais (Yin) dos Órgãos e Vísceras (Zang Fu). Já o segundo ramo nos permite trabalhar os aspectos emocionais relacionados a esses mesmos sistemas. Ou seja, voltando ao nosso exemplo da tristeza e do Pulmão, os sintomas físicos do Pulmão, como tosse e falta de ar, são melhor tratados pelo ponto relacionado ao Pulmão no ramo interno do Canal da Bexiga. Já a tristeza em si, que afeta o Pulmão, ou é decorrente de desarmonias no Pulmão, é tratada melhor pelo ramo externo do Canal da Bexiga.

Agora começamos a entender mais profundamente o porquê que é tão relaxante, física e emocionalmente, receber uma boa massagem nas costas. O nosso corpo possui um mecanismo muito inteligente de proteção aos sistemas internos. Quando uma emoção se torna crônica e pode afetar um Órgão Vital (Zang) ele procura exteriorizar esse efeito, essa estagnação. Uma das formas que ele faz isso é através desse 2º ramo do Canal (Jing) da Bexiga. Por isso esses pontos podem apresentar facilmente contraturas musculares, dores espontâneas ou serem sensíveis ao toque. Isso é tão importante que, na Medicina Chinesa, esses pontos são considerados pontos de alarme, ou seja, pontos que se forem sensíveis ao toque, podem ajudar a identificar qual é a origem emocional da Síndrome que está afetando o paciente.

Por isso, além de todos os efeitos físicos e energéticos que uma boa Massagem Tui Na pode trazer, é muito recomendável receber uma aplicação, que inevitavelmente deve passar por essa região dorsal, para também podermos usufruir destes benefícios emocionais. Esse é um dos principais motivos que faz a Massagem Tui Na ser uma ferramenta muito útil não só para tratamentos, mas também para prevenções e para a manutenção da saúde.

Hexagramas Limitação, Discussão e Ascensão neste sábado

Neste sábado, dia 18 de setembro, teremos a aula mensal de Hexagramas de Yi Jing (I Ching) na Sociedade Taoista do Brasil, quando veremos os hexagramas 22 – Limitação, 23 – Discussão e 24 – Ascensão.

Faremos a aula do Limitação pela manhã, seguida de uma Oficina (prática do oráculo). A tarde veremos os demais hexagramas.

É pré-requesito para frequentar as aulas de hexagramas ter feito o curso de Fundamentos de I Ching.

Informações: www.sociedadetaoista.com.br / 3105-7407.

Curso de Princípios da Medicina Tradicional Chinesa dias 19/09 e 17/10

Curso voltado a interessados em Medicina Tradicional Chinesa que não visam a formação profissional, mas o conhecimento do funcionamento energético humano para desenvolver a percepção da sua própria fisiologia energética e obter uma melhor manutenção da saúde e a prevenção de doenças.

Teorias de base

  • A Medicina Tradicional Chinesa como arte taoista
  • Breve histórico da Medicina Tradicional Chinesa
  • Teoria de Yin & Yang
  • 5 Movimentos
  • Conceito de Qi – Energia Vital
  • Substâncias Vitais
  • Ba Gan – Os Oito Princípios do Diagnóstico Chinês
  • Zang Fu – Órgãos e Vísceras pela visão da MTC e suas funções básicas
  • Jing Luo (Canais e Colaterais)
  • Horários dos Canais e suas recomendações básicas
  • Introdução aos três fatores de doença
  • Fatores patogênicos externos
  • Fatores patogênicos internos e “nem um nem outro”

Prática

  • Breve introdução ao Qi Gong
  • 6 Sons de Lao Tzu
  • Breve introdução à Dietologia

MinistrantesEdgar Cantelli Gaspar & Helena Guimarães

Local: Sociedade Taoísta do Brasil

Datas: 19/09 e 17/10, das 9hs às 16hs

Contato: 3105-7407 / 9631-3005 – stb-sp@sociedadetaoista.com.br

O problema da radiação dos telefones celulares

Há vários anos ouço do nosso Mestre em Medicina Chinesa, Liu Chih Ming, sobre a importância de evitarmos o uso do celular devido às consequências maléficas da sua radiação. Ele citou algumas pesquisas taiwanesas que já demonstravam que nesse país o número de cânceres cerebrais em especial havia crescido de forma significativa, mas que ele não entendia porque essas pesquisas não eram divulgadas ou repetidas nos países ocidentais.

Eu, mesmo sendo seu discípulo, sempre usei celular normalmente, atribuindo essas advertências a um certo exagero sobre os efeitos dessas modernidades tecnológicas, como os antigos tinham medo no início das ondas de rádio ou de televisão.

Acontece que recentemente troquei meu celular por um smarthphone Nokia E71, onde agora, além de fazer minhas ligações, concentro minha agenda, além de alguns documentos e também acesso meu email e até mesmo a internet. Obviamente passei a usar muito mais o aparelho do que usava meus celulares anteriores. Com algumas semanas de utilização comecei a notar algumas dores nas articulações dos dedos da mão, especialmente do dedo indicador, onde apóio o celular para digitar. Como utilizo muito a mão e os dedos na minha profissão e nas minhas atividades físicas, num primeiro momento não vi relação dessas dores com o uso do celular novo. Alguns dias depois comecei a sentir também dores agudas na região torácica, entre as escápulas. Mesmo sendo um profissional da área de Medicina Chinesa com alguma prática clínica, não conseguia diagnosticar a causa dessa dor tão forte que chegou a me deixar de cama por dois dias.

Somente após algumas semanas comecei a identificar um padrão interessante: as dores sempre começavam a surgir e se agravavam nos dias que eu utilizava por mais tempo o celular. Passei então a fazer um teste básico. Fiquei alguns dias utilizando-o de forma limitada e a dor desapareceu. Voltei a utilizá-lo livremente e a dor retornou.

Para minha grata surpresa, justamente nesse período de pesquisa, leio uma matéria muito bem feita na revista Época, com uma entrevista com a epidemiologista americana Devra Davis, na qual ela aborda os sérios riscos do efeito da radiação em nosso organismo.

De toda a entrevista, chamou-me a atenção o fato dos próprios fabricantes de celular recomendarem uma distância mínina para o uso com segurança dos aparelhos de celular, que no caso do meu aparelho é de 22 milímetros, ou seja, para fazer as ligações eu deveria mantê-lo afastado da minha orelha 22 milímetros. Mas essa informação, como destacou a pesquisadora, convenientemente não vem escrita no manual do produto, para conhecê-la é necessário baixar o Guia de Informações de Segurança no site de cada fabricante, coisa que ninguém faz.

A Dra. Davis está lançando nos EUA um livro chamado “Disconnect”, no qual discute profundamente esse tema, inclusive mostrando pesquisas que, assim como as citadas pelo meu mestre, comprovam os efeitos cancerígenos do celular, mas que são abafados por pesquisas pagas com recursos multimilionários da indústria das telecomunicações, uma das poucas que mantém lucros exorbitantes nesta época de recessão mundial.

Outro ponto chave da entrevista fala de um pesquisador brasileiro, Álvaro Augusto Almeida de Salles, professor da Faculdade de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), que comprovou que esses efeitos são 60% mais fortes nas crianças até 10 anos do que nos adultos. Nós sempre procurávamos evitar que o nosso filho de um ano e quatro meses brincasse com o celular (coisa que vejo muitas crianças fazendo). A partir de hoje levaremos isso definitivamente mais a sério.

Pela visão da Medicina Chinesa, nosso corpo possui uma fisiologia dependente de funções físicas e energéticas (o que chamamos de Yang) e de uma estrutura que dê suporte a essas funções (o que chamamos de Yin). Acontece que tanto um distúrbio estrutural acarreta em desarmonias funcionais, como modificações funcionais levam a distúrbios materiais. As ondas de micro-ondas emitidas pelo celular causam uma hipercirculação de Energia (Qi) e Sangue (Xue) na região (você nunca sentiu um ardor na orelha quando usa por mais tempo o celular?). Essa hipercirculação nós chamamos de “Calor”. Esse “Calor” mantido por muito tempo , como qualquer outro tipo de fonte de “Calor”, diminui e resseca os fluídos da região e causam uma aceleração das funções fisiológicas até mesmo num nível celular. Por isso promove o aparecimento de células mal-formadas com característica que lesão e de adesão.

Como solução prática a Dra. Davis sugere que usemos fones de ouvido todas as vezes que usemos o celular. Inclusive ela diz que nunca coloca o celular junto de sua cabeça (e eu sei de conhecidos que dormem junto do celular!). Já encomendei meu fone de ouvido Bluetooth nos EUA, que, segundo Magda Havas, professora associada do Institute for Health Studies da Universidade de Trent em Ontário, Canadá, também emite radiação, mas 100 vezes mais fraca do que o celular. E você, como vai lidar com essa questão?