Mestres Taoistas da Medicina Chinesa – Hua Tuo

Hua To

Estátua de Hua Tuo no Anhui College of Traditional Chinese Medicine.

Hua Tuo (? – 208) talvez seja o médico mais famoso da história da Medicina Chinesa. Apesar de ter obtido parte desta fama ainda em vida, como praticante do Taoismo, nunca procurou destaque e riqueza. Quando o Primeiro Ministro Chen Gui Zang do Reino de Wei e o Ministro da Defesa Huang Wan tentaram persuadi-lo a assumir uma posição no governo, ele recusou. Ele tinha como princípio maior priorizar o atendimento da população em geral.

Hua Tuo primeiro estudou a Medicina Chinesa formalmente com o famoso terapeuta Xu Zhou e durante toda a sua vida continuou seus estudos por conta própria, tornando-se um especialista em muitas áreas, como a acupuntura, a massagem Tui Na, a fitoterapia, os exercícios para saúde, a pediatria e até mesmo procedimentos cirúrgicos. Hua Tuo era capaz de realizar cirurgias abdominais realizadas sob efeitos analgésicos proporcionados pela acupuntura e por fitoterápicos.

Todas as suas práticas clínicas se caracterizavam pela síntese. Ele buscava a utilização do menor número possível de componentes fitoterápicos em suas fórmulas, com o máximo de resultado, assim como a utilização do menor número de pontos de acupuntura num tratamento. Tratando-se particularmente da acupuntura, Hua Tuo ficou conhecido como possuidor de uma técnica incrível de manipulação das agulhas. Ele chegou num nível de domínio das técnicas de agulhamento e de circulação de Qi (氣 – Energia) que previa, antes da inserção da agulha, onde o paciente teria a sensação de irradiação e de que tipo ela seria.

Ele difundiu a utilização de 34 pontos nos espaços intervertebrais para tratamentos de afecções da coluna, conhecidos hoje por todos os estudantes de acupuntura no mundo como os famosos pontos Hua Tuo Jia Ji (華佗夹脊).

Como todo grande mestre da medicina chinesa, Hua Tuo entendia que o grande papel do terapeuta era o de prevenir as doenças. Assim, criou uma escola de Qi Gong (Chi Kung) conhecida como Wu Qin Xi (五禽戲), o “Jogo dos Cinco Animais”, com movimentos baseados em cinco animais: no tigre, no veado, no urso, no macaco e no grou. Ele acreditava que a prática constante deste tipo de exercício era um pilar fundamental para a manutenção da saúde.

Imagem de Hua Tuo no Templo de Mengjia Longshan em Taiwan

Imagem de Hua Tuo no Templo de Mengjia Longshan em Taiwan

Como mestre taoista, Hua Tuo era um praticante das artes de alquimia, procurando a saúde e a longevidade, acreditando na possibilidade da imortalidade. Pelos registros de seus trabalhos, Hua Tuo viveu mais de 100 anos e, segundo relatos, com uma aparência sempre jovial e dinâmica. Seguindo seus ensinamentos, seu discípulo Wu Pu, também viveu mais de 100 anos com ótima saúde.

Um exemplo da conduta de Hua Tuo se dá na história de sua morte. Cao Cao (155-220), governante da província de Cao Wei, que sofria de terríveis dores de cabeça, somadas a transtornos psíquicos, convocou Hua To para tratá-lo durante uma crise. O médico conseguiu tirar o governante do quadro agudo rapidamente, mas o avisou que o tratamento em si era muito difícil e de longo prazo. Cao Cao então recrutou Hua Tuo para que fosse seu terapeuta particular. O sábio terapeuta, sabendo que não poderia simplesmente recusar o pedido do governante, ainda mais conhecendo seus transtornos psíquicos, disse que precisava retornar para casa para descansar.

Algum tempo depois Cao Cao começou a enviar cartas à Hua Tuo solicitando sua presença. O médico então começou a retardar seu retorno ao tratamento do governante, justificando que sua mulher estaria doente. Hua Tuo neste momento sabia que se aceitasse o pedido do governante, nunca mais poderia tratar a população.

Cao Cao enfurecido mandou um grupo de subordinados investigar a situação do médico. Quando descobriram que Hua Tuo estava enganando o governante, este ordenou sumariamente sua morte.

Após a execução de Hua To, o filho favorito de Cao Cao, Cao Chong, adoeceu rapidamente  e morreu. O governante, angustiado, teria gritado se lamentando por ter ordenado a morte de Hua Tuo, que poderia ter salvo a vida de seu filho.

Tornou-se tradição na Medicina Tradicional Chinesa, quando se quer homenagear um terapeuta, chamá-lo de “Hua Tuo Zai Shi“, que significado “Hua Tuo Reencarnado”.

Conheça outros mestres taoistas da Medicina Tradicional Chinesa, clicando aqui.

Edgar Cantelli Gaspar – edgar@terapiaschinesas.com.br – Twitter: @edgarcantelli

Mestres Taoistas da Medicina Chinesa – Zhang Ling

Zhāng Líng (張陵) viveu de 34 a 156 e também ficou conhecido como Zhāng Dào Líng (張道陵). Zhāng foi um mestre taoista que viveu na Dinastia Han Oriental (東漢 – Dōng Hàn) e fundou o Caminho do Mestre Celestial. Essa escola é considerada o marco do início histórico do Taoismo religioso. Uma das disciplinas que Mestre Zhāng implementou nesse período, e que caracterizou essa linhagem, foi que cada discípulo contribuia com 5 dou (1 dou = 10 Kg) de grãos para benfeitorias públicas como, por exemplo, construção de pontes e reparo de estradas.

Zhāng era respeitosamente chamado de Mestre Celestial (天師 – Tiān Shī). Reverenciando Lǎo Zi (老子), autor do Dào Dé Jīng (道德經 – O Livro do Caminho e da Virtude), também conhecido como Lao Tzu, como patriarca do Caminho Taoista, Zhāng incentivava seus seguidores a cultivarem e praticarem os ensinamentos do antigo mestre. Essa linhagem também tinha a longevidade como um de seus maiores princípios e isso influenciou o Taoismo até hoje. Seguindo esse princípio, os seguidores do Caminho do Mestre Celestial praticavam exercícios para saúde e longevidade, curas espirituais, estudavam o uso de encantamentos e talismãs e serviam a sociedade com suas práticas curativas. Quando tratavam da saúde de um indivíduo, era esperado que este confessasse seus pecados antes que o tratamento fosse realizado. Eles não cobravam nenhum valor por esses atendimentos.

Como resultado do trabalho de Mestre Zhāng, o Dào (Tao) não era mais somente um conceito abstrato dos ensinamentos deixados por Lǎo Zi e outros mestres ancestrais. Agora era um Caminho para a felicidade de todos os praticantes e possível de ser acessado para o público em geral.

Mestre Zhāng tornou-se um grande expert nos métodos estáticos de Qì Gōng (氣功), ou seja, exercícios energéticos posturais, com pouco ou nenhum movimento físico. Ele difundiu esses exercícios como ferramentas de cura e manutenção da saúde, influenciando os praticantes de Qì Gōng até hoje.

Em seu livro “Lao Zi Xiang Er Zhu” (Anotações sobre os Cuidados de Lao Zi para Você), encontramos detalhamentos sobre o que chamamos na Medicina Chinesa de “Os Três Tesouros”: a Essência (精 – Jīng), a Energia (氣 – ) e o Espírito (神 – Shén). Temos também os princípios e os métodos da prática do Qì Gōng, segundo a sua linhagem.

Estudando a história de Mestre Zhāng Líng, entendemos que o Taoismo religioso e a Medicina Chinesa são inseparáveis desde a sua origem.

Mestres taoistas da Medicina Chinesa – Chun Yu Yi (205 – 140 a.C.)

Nos antigos clássicos, Chun era chamado Can Gong, que significa “Senhor Administrador do Celeiro”. Isto porque ele era o oficial encarregado dos celeiros do estado. Chun começou com seu treinamento médico na meia idade com um mestre taoista. Mas, pouco tempo depois, já era conhecido em todo o país.

Tornou-se especialista na fitoterapia, trabalhando com uma grande variedade de fórmulas, em acupuntura, e também em numerologia taoista, conhecendo profundamente a relação dos trigramas e hexagramas com as leis da natureza e também como ferramentas de diagnóstico de seus pacientes.

Acredita-se que foi o primeiro clínico da Medicina Chinesa a guardar registro dos casos de seus pacientes, tomando-os como base para futuras análises comparativas e aprimoramento dos seus métodos de diagnóstico.

Edgar Cantelli Gaspar – edgar@terapiaschinesas.com.br – Twitter: @edgarcantelli

Bian Que

Bian Que tomando o pulso do Rei Wei.

Hoje veremos um pouco da história de um dos mestres mais famosos da Medicina Chinesa. Bian Que (扁鹊) viveu na Dinastia dos Estados Combatentes (475 – 221 a.C.) e alguns autores atribuem a ele o Nan Jing (O Tratado das Dificuldades), que pode ser considerado o segundo livro clássico mais importante da Medicina Chinesa, depois do Huang Di Nei Jing (O Tratado Interno do Imperador Amarelo).

Seu verdadeiro nome era Qin Yueren (秦越人) e quando jovem foi um estalajadeiro. Lorde Chang Sang (que vimos no artigo anterior) frequentemente se hospedava em sua pousada. O jovem Qin hospedou o mestre por 10 anos até que este, percebendo a inabalável fé e retidão do jovem, tomou-o como discípulo, transmitindo todo o seu conhecimento.

Suas habilidades e fama com o tempo tornaram-se tão grandes que ele passou a ser chamado de Bian Que, mesmo nome de um legendário médico contemporâneo a Huang Di, o Imperador Amarelo.

Ele foi um grande mestre da Pulsologia e da Acupuntura e defendia a importância dos 4 Métodos de Diagnóstico na prática clínica (四診 – Sì Zhěn):

1 – Inspeção – 望 診 – Wàng zhěn;

2 – Interrogatório – 问 诊 – Wèn zhěn;

3 – Palpação – 望 切 – Wàng qiè;

4 – Olfação e Auscultação – 聞 診 – Wén zhěn.

Muitas histórias são contados sobre o mestre Bian Que. Destaco uma particularmente interessante, pois fala de princípios muito importantes da prática da Medicina Chinesa: um dia o Rei Wei, perguntou: “Você e seus dois irmãos são médicos capacitados. Quem é o melhor entre vocês?”. Bian Que respondeu: “Meu irmão mais velho é o melhor, em seguida vem meu segundo irmão e, então, eu.”

O Rei então perguntou: “Então  por que você é o mais famoso?”

Bian Que explicou: “Meu irmão mais velho trata a doença quando ela está começando a gerar sintomas. Não há nenhuma mudança importante no exterior da pessoal. O que ele faz é eliminar os fatores patogênicos que as pessoas comuns não vêem. Por isso ele não tem reconhecimento.

Meu segudo irmão cura as doenças nos primeiros estágios. As pessoas acham que ele é capaz de tratar somente doenças simples. Então ele é conhecido somente na sua vizinhança.

E quanto a mim, eu trato a doença quando ela já está bem desenvolvida e muito séria. As pessoas me vêem retirando sangue através de aplicação nos vasos e aplicando pomadas terapêuticas sobre a pele, então elas me consideram bem versado na Medicina. Então me tornei conhecido em todo o país.”

Até hoje Bian Que é usado como um título honorário para excelentes terapeutas da Medicina Chinesa.

Breve biografia de famosos mestres taoistas da Medicina Chinesa

A história da Medicina Chinesa é pouco conhecida no ocidente, mesmo dentro das escolas de acupuntura. Pouco conhecida também é a importância da tradição taoista na formação do pensamento e das práticas da Medicina Chinesa. O resgate dessa forma tradicional e essencial de trabalhar com a Medicina Chinesa é um dos nossos grandes princípios, tanto como professores de massagem Tui Na e de acupuntura, quanto como terapeutas. É por esse princípio que também damos paralelamente a todos os interessados a formação completa em I Ching (易經 – Yì Jīng), raiz da lógica e da filosofia taoista e da Medicina Chinesa.

Seguindo esse princípio, começaremos a publicar aqui no nosso site uma breve biografia de famosos doutores clássicos da Medicina Chinesa, especialmente os que tem ligação mais importante com o taoísmo. Começaremos por um dos mais antigos: Chang Sang.

Lorde Chang Sang (viveu na Dinastia dos Estados Combatentes – 475 – 221 a.C.)

Chang Sang viveu um pouco depois de Lao Tzu, considerado o principal mestre da tradição taoista. Muito conhecido por suas habilidades médicas ainda em vida, é considerado tradicionalmente como um dos patriarcas da Medicina Chinesa Taoista. Bian Que, um dos médicos mais famosos da Medicina Chinesa, foi um de seus discípulos. Diz-se que Chang Sang possuía a habilidade de ver os órgãos internos de seus pacientes e que vários de seus discípulos também adquiriram habilidades sobrehumanas como essa.

Edgar Cantelli Gaspar – edgar@terapiaschinesas.com.br – Twitter: @edgarcantelli