Acupuntura,  Artigos,  Fitoterapia

Tabagismo – A Acupuntura como auxílio para se parar de fumar

O tabagismo é uma das causas de doenças mais importantes no mundo hoje. Cada dia mais pessoas tem tomado consciência da importância de livrarem-se desse terrível vício e para suprir essa necessidade o campo da saúde como um todo tem buscado oferecer várias ferramentas auxiliares para ajudar o fumante nessa difícil passagem até ver-se livre do vício. O que pouca gente sabe é que a Medicina Tradicional Chinesa, através da Acupuntura e da Fitoterapia, é uma das formas mais interessantes de apoio ao indivíduo que decide parar de fumar.

Para a visão da MTC, o cigarro causa um padrão sério de Secura-Calor no Pulmão, levando ao desgaste prematuro desse Órgão vital. O Pulmão é a fonte da nossa energia (Qi). É ele quem faz a união da energia captada pelo ar que respiramos, com a energia extraída da nossa alimentação, transformando-as em energia aproveitável pelo corpo todo. Assim, os males causados pelo desgaste do Pulmão são inúmeros. Na terceira idade, quando há um declínio natural da nossa energia vital, se torna ainda mais evidente os problemas que esse desgaste pode gerar, levando a uma perda enorme da nossa qualidade de vida, especialmente nessa fase da vida.

O Calor interno gerado pelo cigarro ainda pode afetar outros Órgão e Vísceras, gerando, por exemplo, gastrites (Calor no Estômago), prostatites e cistites (Calor no baixo-ventre). Mas esse Calor, quando generalizado, ou muito concentrado em algum local, num quadro ainda de diminuição da nossa energia de resistência, devido ao desgaste do Pulmão, gera um quadro muito provável de aparecimento de tumores e cânceres.

Na nossa clínica, utilizamos a Acupuntura sistêmica (com as agulhas finíssimas nos pontos pelo corpo todo), a Acupuntura auricular (estimulando os pontos reflexos na orelha) e a Fitoterapia (utilização de ervas fitoterápicas especiais). O casamento dessas 3 ferramentas tem o objetivo de acalmar o paciente, auxiliando-o a passar pelo período de abstinência, diminuir os efeitos da falta de nicotina e por fim, tonificar o Pulmão diminuindo os efeitos prejudiciais do fumo e restabelecendo a saúde desse Órgão. As sessões são feitas normalmente 1 ou 2 vezes por semana e o número de sessões varia de acordo com o momento em que se encontra o paciente, sua resistência física, sua idade e de seu grau de dependência. Além disso são passadas várias recomendações específicas para cada caso, como alimentação adequada e exercícios respiratórios que auxiliam em todo o processo.

Mas, apesar de todas as possibilidades terapêuticas, é fundamental que o paciente tenha criado consciência da necessidade de parar de fumar e esteja munido de toda a sua força de vontade, pois qualquer tratamento anti-tabagismo é um auxiliar à essa decisão, à força de vontade e à iniciativa do indivíduo.

Assim, colocamos abaixo alguns dados sobre as conseqüências do tabagismo:

1) O tabagismo é responsável por cerca de 3.000.000 de mortes evitáveis por ano no mundo ocidental.
2) Aumenta em 10 vezes o risco de câncer nos pulmões e várias vezes o risco de câncer na boca, garganta, esôfago, pâncreas, rins, bexiga e colo do útero.
3) Recentemente observou-se que o hábito de fumar está associado com o risco de leucemia, câncer de cólon e próstata.
4) Aumenta em 4 vezes o risco de fraturas no quadril, vértebras e punho.
5) Aumenta em 3 vezes a incidência de AVC e úlcera péptica.
6) Aumenta em 2 vezes o risco de catarata.
7) Causa envelhecimento precoce da pele.
8) Aumenta em 3 vezes o risco de doenças coronarianas.
9) A fumação do cigarro no meio ambiente também é um perigo sério ao não fumante, principalmente às crianças, por aumentar o risco de doenças cardiovasculares.
10) A fumaça do cigarro contêm mais de 4.500 substâncias químicas e pelo menos 40 delas são conhecidamente cancerígenas.
11) O risco de morte por doença cardíaca é aproximadamente 30% maior em pessoas expostas à fumaça do cigarro no meio ambiente e em casa.
12) Nenhum tipo de cigarro é seguro, mesmo os de baixos teores.
13) A expectativa de vida média é reduzida em 7 anos no grande fumante (cerca de 20 cigarros por dia / 1 maço), sem levar em conta a perda de qualidade de vida por tempo prolongado antes da morte.

No Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *