Acupuntura,  Artigos,  Fitoterapia,  Medicina Chinesa,  Qi Gong,  Saúde em geral,  Tui Na

Estresse pela visão da Medina Chinesa

Na Medicina Tradicional Chinesa, ou simplesmente Medicina Chinesa, como prefiro chamá-la, já que só existe uma medicina típica chinesa, consideramos que todo tipo de Síndrome Interna é causada por um desequilíbrio emocional. Nossas emoções são extremamente complexas e particulares, mas, didaticamente, os mestres da Medicina Chinesa dividiram os distúrbios emocionais em 7 tipos gerais e os relacionaram aos 5 sistemas energéticos do corpo, que são regidos por determinados Órgãos, como coloco abaixo:

  • Raiva – Fígado (Elemento Madeira)
  • Euforia – Coração (Elemento Fogo)
  • Preocupação e Pensamentos Obsessivos – Baço (Elemento Terra)
  • Tristeza – Pulmão (Elemento Metal)
  • Medo e Susto – Rim (Elemento Água)

Todas as demais emoções são subtipos ou mesclas dessa diferenciação geral, como, por exemplo, a mágoa, que é uma emoção com componentes de raiva e tristeza simultâneos.

É importante saber que nenhuma emoção, simplesmente por a sentirmos, é capaz de gerar desarmonias na nossa saúde. Elas passam a ter esse efeito somente quando as sentimos com uma intensidade excessiva ou por um tempo excessivo.

Ficar triste ou irritado após uma discussão é natural. Permanecer nessa emoção por semanas, meses, anos, não. Esse não é um processo natural, mas é comum de acontecer. E é assim, mantendo-nos num mesmo padrão emocional, que geramos as doenças Interiores.

Dos 7 tipos de emoção é difícil compreendermos como podemos manter um padrão prolongado no caso da euforia, já que entendemos esse estado como algo fugaz. O que é importante entendermos é que o que os chineses antigos chamavam de euforia é o que chamamos de estresse. É claro que algumas pessoas usam a palavra estresse com outros sentidos, denotando que estão raivosas, ressentidas ou preocupadas. Mas, de modo geral, um estilo de vida muito agitado, corrido, no qual a mente precisa permanecer alerta e hiperexcitada grande parte do dia, é o que os chineses consideravam permanecer eufórico.

Assim, conseguimos compreender porque encontramos tantos pacientes com problemas cardíacos ou sintomas atrelados ao sistema energético do Coração, como insônia, falta de memória, palpitação, dores difusas pelo peito ou alterações na transpiração.

Se identificarmos alguns desses sintomas e percebermos que vivemos nessa euforia diária, é importante buscarmos um bom profissional da Medicina Chinesa para orientar o tratamento, que poderá ser feito utilizando acupuntura, massagem Tui Na e/ou Fitoterapia, e, acima de tudo, revermos o modo como levamos o nosso dia a dia, procurando desacelerar a atividade mental em todo momento em que isso for possível e não permanecermos “ligados” 24 horas por dia. A prática de um hobby, de atividade física e de práticas como a meditação, o Qi Gong e a Yoga são recomendações terapêuticas valiosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *